NOTÍCIAS

 

Autoescola pode ser avaliada em caso de alto índice de reprovação de alunos

O alto índice de reprovação nos exames para tirar carteira de motorista está fazendo muita gente se preocupar com o ensino nas autoescolas. Em Belo Horizonte, mais da metade dos candidatos não passa no teste.

Em três tentativas, Ariadne não conseguiu estacionar o carro entre as balizas. “Não coube o carro numa vaga deste tamanho”, ri.

Renata cometeu erros básicos. “Você não percebeu que o freio de mão estava puxado”, avisa o avaliador.

Em Belo Horizonte, mais de 67% dos inscritos não passam nos testes de direção. Em algumas autoescolas, a reprovação chega a 84%. As empresas alegam que a lei permite aos alunos fazer a prova com apenas 20 aulas.

“O problema é que a maioria dos candidatos entende que aquelas 20 aulas exigidas em lei são suficientes. E querem fazer o exame a qualquer custo nessa quantidade de aulas”, explica Rodrigo Fabiano da Silva, do centro de formação de condutores de Minas Gerais.

O alto índice de reprovação pode levar a mudanças nos processos de formação do condutor. É que os centros responsáveis pela preparação dos novos motoristas também têm que ser avaliados. Podem até perder o direito de funcionar, dependendo do resultado dos alunos.

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determina que, para renovar o credenciamento, os Centros de Formação de Condutores (CFC) devem ter índices de aprovação superiores a 60%.

Em Pernambuco, os que não atingirem a meta vão responder a processo administrativo. No estado do Rio, dos 550 centros, 453 têm de apresentar um novo plano pedagógico. Mato Grosso, São Paulo e Minas ainda elaboram um sistema de avaliação.

“O erro é da autoescola? É do processo de formação? O candidato fez poucas aulas ou meu examinador está sendo muito rígido? Então, eu tenho que ter um raio-x para realmente começar a punir realmente o CFC”, aponta Anderson França, do Detran de Minas.

Uma especialista em educação no trânsito, defende o aumento do número mínimo de aulas de direção. Mas também mudanças na qualificação de instrutores e avaliadores, e que a formação dos motoristas deve começar no Ensino Fundamental.

“O que a gente quer mudar é o foco: educação. E não simplesmente adestramento para tirar carteira”, diz.

Fonte: www.g1.globo.com/jornal-nacional


OUTRAS NOTÍCIAS

30-08-2017 - CNH digital: veja perguntas e respostas sobre o documento
23-08-2017 - POLÍCIA CIVIL REALIZA MELHORIA NA INFRAESTRUTURA DO DETRAN-MG
29-08-2017 - POLÍCIA CIVIL PRENDE DUPLA SUSPEITA DE ROUBOS DE CARROS DE LUXO NA CAPITAL
31-08-2017 - DETRAN-MG INFORMA SOBRE O XII CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA DE TRÁFEGO E O I CONGRESSO DE PSICOLOGIA DO TRÁFEGO
24-08-2012 - Fluxograma das normas do curso de motofrete
21-05-2012 - EM mostra como é fácil obter carteira de moto mesmo com pouco treino
13-03-2012 - Pane em sistema suspende serviços do Detran na Bahia
17-01-2012 - Resolução Nº 398, de 13 de Dezembro de 2011
21-10-2011 - DF suspende uso de armas não letais pelo Detran
22-07-2011 - Contran decide acabar com placas que alertam sobre presença de radares


1  2  3   Prximas ltimo

Rua Olímpio Vargas, 166 - Centro - Manhuaçu - MG - Telefax : (33)3331.8452
Desenvolvido por W3Vision